sábado, 17 de maio de 2008

Triângulo de Amor, A Familia Divina


DOMINGO VII DO TEMPO COMUM

SANTÍSSIMA TRINDADE – SOLENIDADE
Branco – Ofício da solenidade. Te Deum.
 Missa própria, Glória, Credo, pf. próprio.

L 1 Ex 34, 4b-6. 8-9; Sal Dan 3, 52.53-54.55acd-56
L 2 2 Cor 13, 11-13
Ev Jo 3, 16-18

* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* Na Diocese de Coimbra – Ofertório para a Igreja Diocesana.
* II Vésperas da solenidade – Compl. dep. II Vésp. dom.

Em Portugal, na próxima quinta-feira ocorre a solenidade do SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO. É dia santificado e feriado nacional.

Neste Domingo somos convidados a sondar um pouco a verdeira face de Deus, um Deus que se apresentou a Moisés não como um Deus poderoso, juiz sempre pronto a condenar-nos pelas nossas faltas mas sim um Deus compassivo: "O Senhor passou diante de Moisés e proclamou: "O Senhor, o Senhor é um Deus clemente e compassivo, sem pressa para Se indignar e cheio de misericórdia e fidelidade» (Ex 34, 4b-6). Somos assim convidados a reconhecer o grande dom de Deus, um dom que assenta num imenso amor e sensibilidade pelo que é um Deus que compreende o homem, as suas amarguras, as suas dores, os seus enganos e as suas tentativas falhadas da busaca da verdade e um Deus que no seu infinito amor quer conduzir o homem à salvação.

Assim reconhecemos um Deus sempre pronto a renovar a sua aliança com os homens, sempre pronto a perdoar as nossa quedas para nos guiar para uma vida em pleinitude, é no contexto de promover alianças com os homens que Jesus, seu Filho veio ao mundo, a sua vinda é mais um passo de Deus para guiar os homens ao seu amor. Jesus foi o grande revelador do Pai e do seu projecto para a humanidade, tudo recebeu do Pai e tudo nos quer ofertar, nada quer para Ele e tudo nos dá para nossa divinização e salvação. Jesus é a graça doada pelo pai cuja essência é amor e que se revela em nós pela comunhão do Espiríto Santo: "A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus
e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco."2 Cor 13,13.

É neste mistério profundo de um Deus em três pessoas que mais nos é revelado o plano do Pai para a humanidade, Deus quer que os seus filhos vivam numa comunhão perfeita e o maior exemplo dessa comunhão é a própria relação entre as três pessoas da Santissima Trindade. Sondando ao de leve este mistério, podemos apercebermo-nos da perfeição da ligação destas três pessoas, uma ligação que não quer ficar neste triangulo mas que quer, pela acção do Espiríto Santo transbordar para a humanidade. A própria vida e o universo são o santuário onde as três pessoas Santas se fazem presentes, onde se entregam totalmente numa comunhão perfeita, uma comunhão que nos é apontada como a verdadeira felicidade, uma comunhão na qual somos convidados a participar.

No evangelho somos confrontados com uma realidade dura, é que o grande amor revelado na Trindade, por si só não basta para que nos salvemos, Deus deixa-nos livres para que nós façamos parte desta comunhão ou não, a escolha é nossa. É certo que a própria dinâmica da vida vai conduzindo o Homem a esta perfeita comunhão Trinitária e que cada individuo mais tarde ou mais cedo reconhecerá o grande amor desta Santa Ligação na qual é convidado a participar mas a ultima palavra será sempre de cada homem.

EVANGELHO – Jo 3,16-18

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo,
disse Jesus a Nicodemos:
«Deus amou tanto o mundo
que entregou o seu Filho Unigénito,
para que todo o homem que acredita n’Ele
não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo
para condenar o mundo,
mas para que o mundo seja salvo por Ele.
Quem acredita n’Ele não é condenado,
mas quem não acredita n’Ele já está condenado,
porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus».

ACONSELHO VIVAMENTE A LEITURA DO LIVRO: "Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" de Maria de la Trindad. Edições Paulus

1 comentário:

For@-da-lei disse...

E recomendas muito bem Rui,mas é um livro que daria para trocar impressões para a vida inteira.Recorro muito a ele,porque de uma forma bastante clara e objectiva, ela (autora) diz tudo acerca da Trindade.Tb aconselharia outros livros muito bons sobre a Trindade de outros autores.